Massive Attack - Mezzanine

Massive Attack - Mezzanine

Por: Lucas Gabriel

O Mezannine, terceiro e principal disco do Massive Attack, fixou a banda como uma das mais importantes do trip-hop nos anos 90, porém, não só para o estilo, o álbum também virou uma referência para diversos artistas de diferentes vertentes - principalmente para aqueles que permeiam por algo mais experimental e criativo.

Já na abertura do disco, em Angel, sentimos aquela que, para mim, é a característica mais marcante do estilo, o uso preciso de elementos graves os quais geram uma ambientação pesada e vibrante para as músicas, seja pelo movimento incessante e contínuo do baixo, pelas batidas profundas ou efeitos eletrônicos que pairam no decorrer de cada faixa.

A forma como os vocais entram no meio das várias camadas sintetizadas é sensacional. No meio dos picos das batidas e das modulações das guitarras, as vozes passeiam com suas letras ácidas que nos sugam ainda mais para dentro das músicas, como em Risingson, Inertia Creeps e Mezzanine.

A variação que há entre os vocais masculinos e femininos de uma música para a outra é mais um dos vários pontos que mostram como o Massive Attack consegue ser uma banda extremamente dinâmica, a qual comprime diversas sonoridades, timbres e tons distintos para produzir um som próprio e original. Durante o álbum transitamos por diferentes atmosferas, às vezes amenas, como em Teardrop, Group Four e Black Milk, por outras mais densas, como em Mezzanine e Dissolved Girl.

O Mezzanine carrega um som extasiante, sendo perfeito para quem gosta algo criativo e destoante. Ao ouvir o disco, entramos numa experiência vibrante, impactante e submersiva!

  • Músicas principais: Angel, Risingson, Teartrop
  • Músicas favoritas: Angel, Risingson

Resenhas em Destaque

Vibe

Ouça nosso podcast na sua plataforma preferida
Spotify Deezer Google Itunes